Tombo de cavensih que rendeu exclusão do Tour de 2017.

Peter Sagan, Bora Hansgrohe e UCI selam a paz e chegam a um acordo após polemica no Tour de France 2017.

Quem não se lembra do sprint da 4º etapa do Tour de France 2017? Mark Cavendish e Peter Sagan (Dimension Data e Bora -Hansgrohe, respectivamente) batiam  literalmente cabeça na disputa daquela vitória.

O desfecho não foi legal para ambos. Cavendish acabou no chão e Peter Sagan não venceu o sprint. Arnaud Demare (FDJ) foi o vencedor da etapa e Sagan acabou sendo eliminado pelo comissão de arbitragem do restante do Tour. Desde então, o eslovaco e sua equipe travavam um guera na justiça. Primeiramente o CAS, negou recurso do Sagan e manteve a punição. Após algumas ações legais da equipe, um novo julgamento estava marcado para 5 de dezembro, mas nesta data UCI e Bora anunciaram que chegaram a um acordo.

Peter Sagan foi absolvido da polemica e recebeu um pedido de desculpas da UCI.

Após análise de novos materiais, ambas as partes chegaram a um acordo de que o acidente foi na verdade um incidente de corrida infeliz e não intencional e que os comissários da UCI tomaram sua decisão com base em seu melhor julgamento.

“Nesta base, as partes concordaram em não continuar com os procedimentos legais e se concentrar nas medidas positivas que podem ser tomadas no futuro”, em uma declaração da UCI.

Sagan e sua linda camisa arco-íris de campeão mundial.

Na prática isso não muda nada, mas em tese, Peter Sagan deixou de vencer pela 6ª a camisa verde por pontos do Tour.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.